Tecnologia

Acusado usa cookies como álibi na Justiça

A Corte de Apelações do Texas recebeu, esta semana, uma prova até então inusitada para adicionar a um processo judicial: arquivos txt de cookies. Os arquivos foram apresentados por um homem acusado de desrespeitar decisões judiciais.
O texano Everett Eugene Russell foi condenado, em 2005, a não se aproximar de sua ex-mulher, Erin McRae, de quem se separou após longo litígio, brigas e problemas com a Justiça. Após o divórcio, Erin saiu de casa e foi morar com o pai numa cidade a 45 minutos de onde vivia anteriormente.
Russell está proibido de aproximar-se da ex-mulher, mas foi acusado pela própria ex-mulher e duas testemunhas de ter rondado sua casa às 10h47 da manhã no dia 26 de fevereiro deste ano.

Na Justiça, Russell apresentou dois fatos para defender-se. O primeiro é de que às 10 horas estava ao telefone com a mãe, em casa, logo não teria tempo de se deslocar até a residência da ex-mulher. O segundo é de que, no momento em as testemunhas alegam tê-los visto rondado a casa da ex-mulher, Russell estaria fazendo compras online.

O advogado de Russell levou à Justiça cópias dos cookies que mostravam que seu cliente, de fato, estava online no momento da acusação. A Justiça, no entanto, entendeu que os arquivos txt poderiam ser facilmente falsificados e não aceitou o álibi.
Russell foi condenado a pagar multa de US$ 2000 e pode ir para a cadeia por até um ano se voltar a aproximar-se da ex-mulher. O advogado de Russell afirma que vai tentar obter relatórios dos sites onde seu cliente navegava no momento da acusação, a fim ter provas mais fortes para recorrer da decisão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.