Tecnologia

'Bing!' processa Microsoft pelo nome 'Bing'

Uma pequena firma de design de St. Louis, Estados Unidos, chamada Bing! Information Designs está processando a Microsoft por causa do nome do buscador Bing.
Num processo judicial assinado na passada quarta-feira, a Bing Information Designs alega infringimento da sua marca comercial e competição injusta da gigante dos softwares.
De acordo com o jornal “The Wall Street Journal”, a companhia de design computacional diz que o uso do nome “Bing” por parte da Microsoft confunde o público e infere incorretamente que as companhias poderiam estar conetadas.
John Telford, que se apresenta como o ‘chefe supremo’ no website do Bing!, não retornou tentativas de colher comentários sobre o assunto. Entretanto, o WSJ reportou que o Bing! vem usando o tal nome desde 2000 e tem um pedido de registro de marca comercial pendente.
“Não recebemos nenhum tipo de notificação, mas tomamos conhecimento do processo judicial através da imprensa,” disse o porta-voz da Microsoft Kevin Kutz, em um comunicado de imprensa divulgado via email. “Acreditamos que este processo não tenha mérito algum e não acreditamos que haja confusão no mercado entre o produto do queixante [companhia de design] e o produto da Microsoft. Nós respeitamos as marcas comerciais e as propriedades intelectuais de outras pessoas; aguardamos os próximos passos do processo judicial.”
Apesar de não ter especificado uma quantia monetária que exige, a firma de design está buscando “compensação por danos, incluindo ter a Microsoft pagando por uma campanha publicitária para desfazer a confusão alegadamente gerada entre as marcas,” reportou o WSJ. Os documentos legais do processo não estavam disponíveis no website do sistema judiciais de Missouri.
A Microsoft remodelou o seu antigo buscador, o Live Search e lançou como Bing em Junho deste ano. Desde então, a companhia tem vindo a ganhar porção de mercado, superando a marca dos 10% em Novembro deste ano. A gigante dos softwares registrou o nome “Bing” como sua properiedade em Março deste ano.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.