Tecnologia

Testador de Software é profissão em alta. Veja como ser um

No último artigo você deve ter ficado com vontade de ser um testador de software. A função, apesar de pouco divulgada, é muito valorizada.
Por isso, uma nova certificação profissional em TI promete ser bastante requisitada: é a de Teste de Software, passaporte que habilita talentos para avaliar a qualidade das aplicações dentro de padrões internacionais para corrigir falhas dos programas ainda fase inicial.
Essa mão-de-obra especializada começa a ser valorizada no Brasil por desenvolvedoras e também pelos compradores de serviços, principalmente órgãos de governo.

Algumas licitações já exigem entre os requisitos para contratação das fábricas de software que suas soluções sejam validadas por testadores habilitados.
O credenciamento em Teste de Software é uma disciplina nova no mercado brasileiro e espera atingir a mesma maturidade adquirida pelos selos que habilitam Engenheiros de Software.
Até 2006, os profissionais interessados em obter esse passaporte tinham que buscá-lo fora do país, agora o BSTQB (Brazilian Software Testing Qualifications Board), braço oficial do ISTQB (International Software Testing Qualifications Board) está no Brasil para qualificar a mão-de-obra.
O BSTQB emite a certificação CTFL (Certified Tester, Foundation Level), que já credenciou 104 profissionais no Brasil. A especialização capacita testadores para medir a qualidade das aplicações de negócios e para usuários finais em diversas plataformas.
A expansão das comunicações sem fio, com a chegada da celular 3G deve exigir o desenvolvimento de novas soluções embarcadas para os terminais móveis, abrindo novas oportunidades para testadores de software, já que todas essas aplicações precisam passar por extensas avaliações antes de entrarem em produção.
Em outros países, a certificação de Testes em Software já é muito procurada pelos profissionais para aprimoramento da carreira. Na Índia, por exemplo, há mais de dez mil profissionais com esse selo. As companhias estão investindo na contratação desses talentos para desenvolver software com qualidade dentro do orçamento e prazos estabelecidos.
Papel do testador
A função do testador é analisar as aplicações para que os bug possam ser corrigidos durante o desenvolvimento. Seu trabalho começa na etapa inicial, antes de os códigos serem escritos.

Quanto mais cedo os erros forem corrigidos, menos custos as empresas terão com a produção dos programas.

As falhas em uma aplicação, além de encarecer o preço final da solução, podem trazer muito problemas para as corporações. Um bug numa aplicação de Internet banking, por exemplo, pode trazer transtornos enormes para o banco.
O teste de software evita retrabalho é dá mais credibilidade aos serviços.
Muitas empresas perceberam que precisam ter processos maduros de desenvolvimento e profissionais capacitados. A QAI Brasil já certificou 60 talentos no País em dois selos: CSTE (Certified Software Tester) e CSQA (Certified Software Quality Analisty). No mundo, o instituto emitiu cerca de 42 mil credenciais, sendo que destas 18 mil estão ativas. As demais perderam a validade por não terem sido renovadas no prazo de três anos.
Requisitos para certificação.As certificações emitidas pelos dois institutos são reconhecidas no Brasil e exterior. Elas se destinam a profissionais de TI e os interessados em obter o selo de qualquer um desses organismos podem fazer o exame direto.
No caso do QAI, os candidatos devem ter experiência mínima em TI de seis anos, que pode ser somado com curso superior e tempo de trabalho. A taxa de inscrição para o exame, que é oferecido duas vezes ao ano, custa US$ 350. Para os que optarem por fazer o curso preparatório, o investimento gira em torno de R$ 2 mil.
No BSTQB, há a alternativa de o aluno baixar o material na Internet para estudar. A taxa para as provas é de R$ 350. A entidade também promove dois cursos ao ano, com exames oferecidos nas cidades de São Paulo, Brasília, Belo Horizonte e Recife.
Outra instituição que credencia testadores de software é a CBTS (Certificação Brasileira de Teste de Software), que já capacitou mais de 140 profissionais no País. Mais informações sobre esses selos podem ser obtidas no site da Alats.
via WNews

0 Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.