4G: O futuro da telefonia celular pode não chegar ao Brasil

por Jorge Marques

O Brasil tem 153 milhões de telefones celulares, que se tornaram xodós dos consumidores.

Mas essa relação apaixonada pode estar com os dias contados.

Quem alerta são os especialistas em telecomunicações que vão estar presentes na Rio Wireless, esta semana, na Barra da Tijuca.

O evento vai discutir o perigo de a quarta geração de telefonia celular (4G) não se desenvolver por aqui caso fabricantes e operadoras fiquem sem o espectro adequado para trabalhar.

Dirá o leitor:

mas se a terceira geração ainda não está com tudo em cima, por que discutir a quarta?

É que justamente pelo gargalo da frequências o sistema celular no país corre o risco de ficar seriamente prejudicado.

O que acontece é o seguinte: a faixa da quarta geração de telefonia, recomendada pela União Internacional das Telecomunicações para a chamada tecnologia LTE (evolução a longo prazo, na sigla em inglês), é a de 2,5GHz, que no momento vem sendo usada pela televisão por assinatura (6,2 milhões de usuários).

Especialistas como o vice-presidente do UMTS Forum, Mario Baumgarten, e o consultor Newton Scartezini, explicam que seria possível alocar a transmissão digital dos serviços de TV pagos e os serviços telefônicos de banda larga de quarta geração conjuntamente nessa frequência.

Não se trata de passar a TV para outra faixa, mas de agregar a banda larga sem fio numa faixa já recomendada e reconhecida internacionalmente.

– Alocar essa faixa para a quarta geração de telefonia (e internet) significa que estamos alinhados com o mundo, o que facilitará o acesso aos serviços – diz Mario. Até porque haverá gente desenvolvendo programas e serviços com base nessa frequência.

A briga na Rio Wireless promete ser boa. Até porque a banda larga sem fio é um caminho para a inclusão digital

Jorge Marques é Advogado e atua como responsável jurídico do Infoescravo.



3 Comentários

  1. RJ FuhreR 17 de agosto de 2011
  2. Leo 25 de março de 2011
  3. adriano 24 de março de 2010
  4. Pingback: Tecnologia 4G: vídeo demonstrativo 17 de abril de 2009

Comentar